Revista Carta Premium

MELHORES DO SEMESTRE: cervejas brasileiras premiadas na Alemanha, Austrália, México, Argentina e no Mondial de La Biére SP

 Extra!

MELHORES DO SEMESTRE: cervejas brasileiras premiadas na Alemanha, Austrália, México, Argentina e no Mondial de La Biére SP

MELHORES DO SEMESTRE: cervejas brasileiras premiadas na Alemanha, Austrália, México, Argentina e no Mondial de La Biére SP
julho 01
14:39 2019

Das premiadas no Concurso Brasileiro de Cervejas do Festival de Blumenau (veja AQUI reportagem) ao final de junho, o mercado brasileiro de cervejas artesanais e especiais comemora diversas premiações recebidas nesse primeiro semestre de 2019.

Germania IPAEntre os mais tradicionais concursos realizados os últimos meses está o Frankfurt International Trophy, da Alemanha, que abrange não só a rigorosa avaliação de algumas das melhores cervejas mundiais, mas também vinhos e destilados. Apenas para se ter ideia, neste ano foram registrados mais de 2.600 rótulos inscritos, provindos de 39 países, os quais foram avaliados por 271 experts em bebidas e 96 apreciadores e amadores, de forma abranger dos paladares mais tradicionais ao mais exigentes.

No caso de vinhos e destilados infelizmente não houve premiações para produtos brasileiros, mas a lista de cervejas brasileiras premiadas foi mais uma vez extensa.

Entre os destaques está a Cervejaria Germânia, de Vinhedo, SP. A versão IPA da empresa recebeu a Medalha de Ouro no Frankfurt International Trophy.

Equilibradíssima no amargor, essa India Pale Ale da empresa remete no aroma e no sabor à notas cítricas de laranja, maracujá e abacaxi. A formação de espuma na parte superior do copo, favorece o sabor e aroma do lúpulo. Essa mesma cerveja da Germânia já havia sido premiada em 2018 no International Beer Challenger, em Londres, no Reino Unido, com Medalha de Bronze. A Germânia IPA, combina bem com comidas fortes e apimentadas, como hambúrgueres, comidas indiana ou mexicana (tacos, burritos, etc.).

Mais  informações podem ser obtidas na página da empresa no Facebook e no Instagram .

Colorado HainuNo mesmo concurso outra empresa brasileira que se destacou muito foi a Ambev com uma dezena de premiações para várias de suas marcas: Bohemia, Colorado, Skol e Wäls. A empresa recebeu diversas Medalhas Grande Ouro, o equivalente a Ouro Duplo, quando atinge uma pontuação de excelência.

Entre os destaques da empresa com essa premiação máxima está a Colorado Hainu, lançada no final do ano passao, uma Porter que leva coco queimado na receita. Muita das cervejas não estão na linha regular da emrpesa, são sazonais e experimentais.

Confira a lista de premiadas da Ambev no evento da Alemanha:
– Skol Puro Malte: Medalha de Grande Ouro
– Bohemia Alba: Medalha de Grande Ouro
– Bohemia Eisbock: Medalha de Grande Ouro
– Bohemia Munich Dunkel: Medalha Grande de Ouro
– Bohemia Tropicália: Medalha Grande Ouro
– Bohemia Wee Heavy Barrel Aged: Medalha Grande Ouro
– Colorado Guanabara: Medalha Grande Ouro
– Colorado Hainu: Medalha Grande Ouro
– Colorado Ithaca: Medalha Grande Ouro
– Colorado Oatmeal Stout: Medalha Grande Ouro
– Colorado Shiya: Medalha Grande Ouro
– Wäls Belgian Guava Trippel: Medalha Grande Ouro
– Wäls Berliner: Medalha Grande Ouro
Wals Dubbel- Wäls Dubbel: Medalha Grande Ouro
– Wäls Jambu Treme: Medalha Grande Ouro
– Bohemia 1843: Medalha de Ouro
– Bohemia Black: Medalha de Ouro
– Bohemia Wee Heavy: Medalha de Ouro
– Colorado APA: Medalha de Ouro
– Colorado Black Indica: Medalha de Ouro
– Colorado Dry Stout Pepper: Medalha de Ouro
– Colorado Fragaris: Medalha de Ouro
– Colorado Fruit Beer Jabuticada: Medalha de Ouro
– Colorado Summer Ale: Medalha de Ouro
– Colorado Taperebá: Medalha de Ouro
– Colorado Witfit: Medalha de Ouro
– Wäls Petroleum: Medalha de Ouro
– Wäls Smoked Honey Mustard: Medalha de Ouro
– Wäls Trippel: Medalha de Ouro
– Bohemia 838 Pale: Medalha de Prata
– Colorado Ambaru: Medalha de Prata
– Colorado Vixnu Medalha de Prata

Australian International Beer Awards

Saindo da Alemanha, partimos para a Austrália, onde foi realizada mais uma edição do Australian International Beer Awards, competição que reuniu cerca 1.700 cervejas de 320 cervejarias de 36 países. As cervejarias brasileiras conquistaram nesta edição 46 medalhas e 1 troféu especial, este para a Bohemia Alba, que foi considerada a melhor do evento em sua  categoria, além de receber Medalha de Ouro.

São muitos os destaques que poderíamos citar em detalhes, entre eles listamos:

Blauer Berg Head Space- Headspace Oak Aged, da Blauer Berg: com sede em Timbó, SC, a empresa levou a Medalha de Prata com essa versão que traz a complexidade trazida pela maturação em barricas de carvalho francês anteriormente utilizados para envelhecimento de cachaça. As notas são de coco, baunilha e suave toque do destilado anteriormente envelhecido no barril. Com 9% de teor alcoólico, apresenta amargor de 23 IBU. A versão tradicional da empresa, a Headspace, uma Belgian Dark Strong Ale, também levou a Medalha de Prata no evento.

– Cerveja Wood Sour, da Backer: cerveja sazonal da empresa mineira, que levou Medalha de Ouro no evento, ela leva adição de frutas vermelhas como cerejas, framboesas, amoras e morangos e é maturada por um ano em barris de carvalho americano, que foram previamente utilizados para produção de Bourbon. De coloração avermelhada possui ainda notas amadeiradas, toques frutados e sabores que remetem a vinho do Porto. Com 7,7% de teor alcoólico e IBU de 26% e é um dos lançamentos da cervejaria em 2019.

– Dunkel, da paulista Hausen Bier: Medalha de Ouro no evento! Cerveja feita com maltes torrados especiais que remetem a caramelo, chocolate e café, essa cerveja já recebeu mais de 10 medalhas desde o seu lançamento, muitas delas internacionais. Segue o estilo Schwazbier, com teor alcoólico de 4,7%, bem encorpada, escura, acompanhando bem pratos como presunto cru, churrasco e feijoada.

Linha Hausen Bier

– Scarlett Flanders, criada por Jorge Braier da catarinense Stannis: Medalha de Prata no evento, essa Flanders Red Ale também levou Medalha de Ouro no Concurso Brasileiro da Cerveja do Festival de Blumenau 2019. De paladar ácido e marcante, com aromas que lembram madeira, cerejas e balsâmico, ela harmoniza com anchovas e ostras e sobremesas como musse de frutas silvestres.

Cervejaria Stannis ilustrativa

– ZOZ #1 Winter Bronze, da linha ZOZ da Brasserie 35: também Medalha de Prata no evento, essa cerveja da gaúcha Brasserie 35 foi criada é uma cerveja para ser apreciada no inverno. Bem encorpada e com abundante sabor de malte, traz notas de caramelo, biscoito e defumado. No corpo e dulçor se destacam o amargor do lúpulo e um teor Cervejas ZOZalcoólico que aquece. O teor alcoólico é de 10% e o IBU de 60. No mesmo evento a Vitis Ale da empresa levou a Medalha de Bronze.

Confira todas as premiadas no evento

Linha Ambev (SP e RJ)
– Bohemia Alba: Medalha de Ouro e o título de “Best Scotch Ale / Barley Wine”
– Bohemia Doppelbock: Medalha de Prata
– Bohemia Caroline III: Medalha de Bronze
– Colorado Ithaca: Medalha de Prata
– Colorado Fragaris: Medalha de Bronze
– Colorado Oatmeal Stout: Medalha de Bronze
– Bohemia Entreguerras: Medalha de Bronze
– Colorado Berliner Weisse: Medalha de Bronze
–  Colorado Brasil com S ed. 02: Medalha de Bronze
– Bohemia Old Ale: Medalha de Prata
– Colorado Baltic Porter: Medalha de Prata
– Colorado Guanabara: Medalha de Prata
– Colorado Colônia: Medalha de Bronze
– Bohemia Rauchig: Medalha de Bronze
– Bohemia Wee Heavy: Medalha de Ouro
– Colorado Demoiselle: Medalha de Prata

Antuerpia Nikita Cherry HickeyAntuérpia (MG)
– Perdição: Medalha de Prata
– Quintal Jabuticaba: Medalha de Prata
– Quintal Mexerica: Medalha de Prata
– Nikita Cherry Hickey: Medalha de Bronze
– Nikita Hazelnut Stuck: Medalha de Bronze

Ashby (SP)
– Ashby Weiss: Medalha de Bronze
– Ale Cacau: Medalha de Bronze

Backer (MG)
– Reserva Wood Sour: Medalha de Ouro
– Cabral: Medalha de Bronze
– Bravo: Medalha de Bronze
–  Reserva Cherry: Medalha de Bronze

Bamberg (SP)
– Bamberg Electra: Medalha de Prata
– Bamberg Camila Camila: Medalha de Bronze
– Altbier: Medalha de Bronze

Blauer Berg (SC)
– Headspace: Medalha de Prata
– Headspace Oak Aged: Medalha de Prata

Cerveja Búzios ManguinhosBúzios (RJ)
– Manguinhos: Medalha de Bronze

Grupo Petrópolis (RJ)
– Black Princess Doctor Weiss: Medalha de Ouro

Hausen Bier (SP)
– Dunkel: Medalha de Ouro
– Hausen Bier Vienna: Medalha de Prata

DeBron (PE)
– DeBron Vienna Lager: Bronze
– Imperial Stout Cacahuatl: Medalha de Bronze
– NutIPA: Medalha de Prata

Heineken do Brasil (SP)
– Baden Baden Wit Bier: Medalha de Bronze
– Eisenbahn Weizen Bock: Medalha de Bronze

 Jorge Braier – Stannis (SC)
–  Gold Amélia: Medalha de Bronze
– Scarlett Flanders: Medalha de Prata

ZOZ – Brasserie 35 (RS)
– ZOZ #1 Winter Bronze: Medalha de Prata
– Vitis Ale: Medalha de Bronze . Essa cerveja (foto e capa da reportagem) foi desenvolvida em parceria com a Cervejaria Leopoldina . Ela é uma colaborativa que traz na receita a ZOZ #3 Golden, da Brasserie 35, eo  espumante Leopoldina Chardonnay DO, da Casa Valduga, do mesmo grupo da Cervejaria Leopoldina. Ou seja, a cerveja possui como base uma Belgian Style Pale Strong Ale maturada em barril de carvalho por quatro meses. Posteriormente, o rótulo foi refermentado com Chardonnay da Casa Valduga, refermentado novamente, maturado e envasado pela Brasserie35. Possui 10,5% de teor alcoólico e 20 IBU e passou por tripla fermentação.

Mondial de La Biere São Paulo

Neste ano foram mais de 131 rótulos inscritos no Mbeer Contest, onde as cervejas são avaliadas sem estilos pré-definidos. Os juízes fazem as degustações às cegas, sem qualquer informação sobre os produtos.

O grande destaque foi para a mineira Antuérpia, que recebeu a pontuação e a premiação mais alta do concurso com seu rótulo Nikita Cherry Hickey  uma Russian Imperial Stout com cereja que recebeu o mesmo prêmio na edição do ano passado do Mondial realizada no Rio de Janeiro.

Essa cerveja, que teve a participação do chef Ronaldo Rossi na criação, recebe a adição de lactose.  No aroma notas de chocolate amargo, café e toffee, e no sabor todas as notas sensoriais entregues no aroma acompanhado de alto corpo proporcionado pela adição de lactose.

Cerveja Blumenau MacucaTambém vale destacar outra premiadíssimas no evento: a Cerveja Macuca, da Blumenau, de Santa Catarina. Essa uma Imperial Stout da empresa já conta com mais 22 medalhas em concursos nacionais e internacionais. Ela passa por envelhecimento em barril de amburana, madeira brasileira que vem se destacando no envelhecimento de destilados finos. Em sua receita, traz a combinação de seis tipos de malte, destacando-se notas de chocolate, café e torrado no paladar. Já o aroma é amadeirado.

Confira todas as medalhistas da edição 2019 do Mondial de La Bière SP:

Antuérpia (MG)
– Nikita Cherry Hickey: medalha de Platina
– Rock me Baby: Medalha de Ouro
Blumenau (SC)
– Macuca: Medalha de Ouro
Brassaria Ampolis (RJ)
– Ditriguis: Medalha de Ouro
Croma Beer (SP)
– Red Strike: Medalha de Ouro
Dádiva (SP)
– Point of View: Medalha de Ouro
Mea Culpa (SP)
– Ira: Medalha de Ouro
Cerveja Pratinha DarkmoonPratinha (SP)
– Culotte de la Duchesse: Medalha de Ouro
– Darkmoon: Medalha de Ouro
– A Tonka e o Bravo Cervejeiro: Medalha de Ouro
Unicorn – Startup Brewing (SP)
– Unicorn Neipa: Medalha de Ouro

Concurso Aro Rojo

Em segunda edição, o concurso Aro Rojo realizado na cidade de Tampico, no México, contou neste ano com a participação de 1.201 cervejas inscritas, provindas de 265 cervejarias de 14 países. Todos foram avaliados por um júri internacional, que apontaram as melhores cervejas das Américas. O nome do evento, que em português significa “Aro Vermelho”, é uma referência à cor do anel olímpico que representa o continente americano.

No caso das brasileiras, o grande destaque foi para a cervejaria Wäls (Grupo Ambev), que foi considerada a “Melhor Cervejaria Americana 2019″, além do título de “Melhor Cervejaria do Brasil”, e o título “Melhor Cerveja do Brasil” para a Wee Heavy, que pertence ao Grupo.

Outras premiadas também merecem um destaque especial:

– Cerveja Sebastian, da Walfänger: Medalha de Ouro. Essa Düsseldorf Altbier faz parte de uma linha especial da empresa, uma trilogia que homenageia três gênios da humanidade. A Sebastian  é uma cerveja delicada e sofisticada, equilibrada por uma riqueza de malte. Tem aroma limpo, mas também robusto e complexo. Complementam a linha a Sigmund Vienna Lager e a Albert German Ipa.

Walfanger
– Carvoeira, da Lohn Bier, SC: é talvez uma das cervejas brasileiras mais premiadas internacionalmente desde o seu lançamento. Apenas apra se ter ideia, essa cerveja e suas edições especiais já acumulam uma dezena de premiações. A Carvoeira possui teor alcoólico de 9,5% e amargor de 60 IBU. É uma Imperial Stout densa, complexa com notas amadeiradas e aroma de baunilha. Na verdade, apresenta uma excelente combinação entre lúpulo inglês, grãos brasileiros e sabores exóticos. É de fácil harmonização, principalmente com sobremesas à base de chocolate, banana, ou até crème brûlée.

Lohn Bier Carvoeira

– Catharina Sour Maçã E Canela , da Königs, também de SC: é uma cerveja leve que possui em sua composição maçã, canela e lactobacilos, composição que lhe confere um sabor leve e refrescante. A receita foi inspirada na cerveja alemã Berliner Weisse, típica da região de Berlim. É também um das cervejas com destaque em premiações. No ano passado foram três medalhas de Ouro recebidas: World Beer Awards (WBA); Medalha de Ouro South Beer Cup; e International Beer Challenge. Entre as ótimas harmonizações estão pratos como arenque (peixe), torta de limão, frutas tropicais e sobremesas cítricas.

Konigs Catharina Sour
– Pilsen, da Asgard (PR): essa cervejaria curitibana levou duas Medalhas de Prata no evento, uma delas para a sua Dunkel, uma cerveja de cor marrom escuro, que remete no a aroma a grãos tostados, notas de caé e chocolate. Essa cerveja da empresa já recebeu diversas outras premiações desde o seu lançamento. Seu teor alcoólico é de 6%. É uma cerveja que harmoniza com feijoada, massa, lasanha, bife, rosbife, lombo de porco, peru, chester e linguiça de frango. A Asgard é uma fábrica bar, que ocnta com linha de chopes em barris e cervejas em garrafas

Asgard Dunkel

Confira as premiações para cervejarias nacionais no evento:

 

Aro Rojo 2019Medalhas de Ouro
–  X-Wäls, da Wäls (Grupo Ambev), considerada a “Melhor de Sua Categoria”
– Walfänger Sebastian, da Walfänger (SP)
– 1853 Expert, da Cervejaria Zx  (Grupo Ambev, divisão de Inovação)
– Wee Heavy,  da Cervejaria Zx  (Grupo Ambev), considerada a “Melhor de Sua Categoria”
– Colorado Scotch, da Colorado (Grupo Ambev)
– Imperial Stout,  da Cervejaria Zx  (Grupo Ambev)
– Niobium, da Wäls (Grupo Ambev)
– Catharina Sour Maçã E Canela , da Königs (SC)
– Carvoeira, da Lohn Bier (SC)
– Guanabara, da Colorado (Grupo Ambev), considerada a “Melhor de Sua Categoria”
– Petroleum Bourburana, da Wäls (Grupo Ambev)
– Terracota, da Wäls (Grupo Ambev), considerada a “Melhor de Sua Categoria”
Medalha de Prata
– Baltic Porter da Colorado (Grupo Ambev)
– Doppel Bock, da Cervejaria Zx  (Grupo Ambev)
– Vixnu, Colorado (Grupo Ambev)
– Dubbel, da Cervejaria Zx  (Grupo Ambev)
– Wäls Violet Rouge Sour, da Wäls (Grupo Ambev)
– Magrão, da Colorado (Grupo Ambev)
– Shiya, da Colorado (Grupo Ambev)
Bamberg Schwarzbier- Mocobreja, da Bamberg  (SP)
– Schwarzbier, da Bamberg

Medalha de Bronze
– Pilsen, da Asgard (PR)
– Dunkel, da Asgard
– Marzen, da Cervejaria Zx  (Grupo Ambev)
–  Rauchbier, da Bamberg
– Doppelbock, da Walfänger
– Votorantinner Sauer, da Bamberg
– Dubbel, da Wäls (Grupo Ambev)
– O Diabo Veste Wäls, da Wäls (Grupo Ambev)
– Porter Porteira E Portão, da Pratinha (SP)
– Ambarella Adicionada Fruta Cajá Manga, da Pratinha (SP)

Concurso Mejor IPA de Sudamerica

Realizado em El Bolsón, na Argentina, o Festival de Lúpulo y la Fiesta Nacional de Lupulo teve em destaque a primeira edição do concurso Mejor IPA de Sudamérica . E, claro, não faltaram brasileiras premiadas no evento:
– IPA, Asgard: Medalha de Prata;
– Belgian IPA, da Opera (SP): Medalha de Bronze;
– NEIPA, Trilha (SP): Medalha de Bronze.

Quer conhecer outros prêmios internacionais conquistados pelas cervejarias citadas nessa reportagem? Nossa última edição traz em destaque os prêmcios da Asgard, Wäls, Bamberg, Colorado, Lohn, Backer, Antuérpia, Wälfanger,e muitas outras cervejarias brasileiras com premiações em concursos em outros países e internacionais realizados no Brasil no perído 2018-2019. Clique na capa abaixo e confira a edição na íntegra.

Capa Edição 9 - Premiata 2019

 

Artigos Relacionados

0 Comentários

Ainda não há comentários!

Não há comentários no momento, você quer adicionar um novo?

Escrever um Comentário

Escrever um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados *

16 − nove =

Novidade de destaque

Entre os melhores destilados mundiais

Do terroir paranaense

Acesse na íntegra nossa última edição!

Tradição e Excelência em Destilados

Entre as mais premiadas no mundo

De renome internacional

Na mais alta patente da qualidade

Premiada no Oscar da Cerveja Mundial

Impossível não ter na sua carta

Opção de excelência

Paulista multipremiada

Premiada cervejaria paulista

Pureza e suavidade desde 1932

Gim brasileiro de destaque mundial

Excelência do terroir gaúcho

Muita brasilidade, tradição e qualidade

Destilado Premiado e Cervejas Especiais

Entre as melhores cervejas brasileiras

Um toque a mais de excelência

Entre as mais premiadas do País

O verdadeiro destilado ancestral brasileiro

Premiada na China, na Polônia …

Entre os melhores destilados do mundo

Companheira de todos os momentos

Simplesmente no topo das avaliações

Cerveja Brasileira Conquistando o Mundo